quarta-feira, 31 de agosto de 2011

Hesher: sem noção, doido e rock and roll


            Insano. Essa é a palavra perfeita para descrever o filme Hesher, 2011, do diretor Spencer Susser. O filme estreou no Festival de Sundance do ano passado, mas ainda não tem data de estréia no Brasil. O longa conta com Joseph Gordon-Levitt (A Origem e 500 dias com Ela) interpretando o personagem que dá nome ao filme, Natalie Portman (Cisne Negro e Thor) que dá vida a uma atendente de caixa de supermercado, e Devin Brochu como o menino TJ, que acaba de perder a mãe.
            Hesher é um maluco tatuado, revoltado com a vida e fã de heavy metal. Aparentemente não tem casa nem família. Ele conhece TJ na rua e se muda pra casa do menino, onde o pai dele está tão transtornado pela morte da esposa que nem dá importância ao estranho morando com eles. A história surpreende com esse mistério sem noção e às vezes nos faz pensar se Hesher realmente existe ou se é um amigo imaginário do menino.

                                            Joseph Gordon-Levitt como o insano Hesher
                                                                      Devin Brochu e Natalie Portman
                                                                                 Cartaz de Hesher

            Além de trazer a ganhadora do Oscar de melhor atriz por Cisne Negro no elenco, Natalie Portman, o que abrilhanta mais ainda a produção é a ótima atuação de Joseph Gordon-Levitt, dando vida a um personagem muito diferente dos que ele costuma fazer no cinema.
            O filme tem um clima pesado, não só pelas músicas de metal que Hesher ouve em sua van, mas por se passar durante o luto de uma família. Também é cheio de metáforas pornográficas e um vocabulário bastante chulo. Por ser uma produção ousada e muito irreverente, o filme conquista o público por ser original e diferente da maioria dos filmes politicamente corretos que vemos por aí. Hesher é muito louco.

                                             Assista ao trailer legendado:
      Fotos: divulgação                                                      

2 comentários:

Oliver Kovacevich disse...

Legal. Ainda não tinha ouvido falar desse filme.

matthy D.P. disse...

Foi exatamente isso q eu pensei, é insano e porra louca e muito Rock And Roll, e exatamente, tbm pensei q Hesher poderia ser um amigo imaginario q o garoto cria para tentar superar a morte de sua mãe, é incrivel esse fime