quarta-feira, 3 de agosto de 2011

Guerra dos sexos: você está fazendo isso errado


             O projeto de lei que institui o Dia do Orgulho Heterossexual na cidade foi aprovado nesta terça-feira pela Câmara Municipal de São Paulo. Quem vai decidir se isso vai virar lei é o Prefeito Gilberto Kassab.  Vereadores que votaram a favor da lei, alegaram que a moral e os bons costumes tem que ser estimulados. Segundo o vereador e autor do projeto, Carlos Apolinário, a ideia da lei não é promover o preconceito, mas é contra a Parada Gay da cidade de São Paulo. Aí eu me pergunto: desde quando heterossexualidade é sinônimo de bons costumes?
             A aprovação da lei causou muita polêmica nas redes sociais, principalmente no microblog Twitter, onde o tema se tornou um dos assuntos mais comentados pelos internautas brasileiros. O que muita gente não percebe, é que está se criando uma guerra entre heterossexuais e homossexuais, ambos estão em busca de direitos e orgulhos que não passam de lei. Durante décadas as pessoas homossexuais foram perseguidas, sofreram preconceitos, foram motivo de piada e foram agredidas. Foram não, ainda são. Gays são atacados nas ruas todos os dias, são expulsos de casa pelos pais e são motivo de chacota na escola e no trabalho. Orgulho é a única coisa que eles têm. E eles têm o direito de lutar por isso.


             Acho engraçado quando escuto ou leio algum comentário preconceituoso sobre a Parada Gay. Alguns heterossexuais acham que a parada deveria acabar porque se trata de bagunça, arruaça e “sem vergonhice”.  O que dizer do carnaval então? Carnaval é bagunça, arruaça e “sem vergonhice”, e ainda por cima são quatro dias de festa. Mas como tem mulher nua dançando em cima de carros alegóricos, pode. Quando é feriado nacional, pode. Como é uma festa da cultura do Brasil, pode. Você é contra a Parada Gay? É só não ir.
             Nunca vi heterossexual sofrendo preconceito por amar uma pessoa do sexo oposto ou ser ridicularizado na escola e no trabalho por causa da sua opção sexual, muito menos apanhando de lâmpada no meio da rua.
             Deveria ter o dia do orgulho de ser honesto, ou um dia de orgulho dos que lutam contra políticos corruptos. Qualquer coisa virou motivo para se ter um Dia do Orgulho. Eu, por exemplo, posso reivindicar o Dia do Orgulho loiro.

Fique agora com um vídeo bônus para mostrar que as pessoas nem sabem mais o que são:


Fonte: http://g1.globo.com/sao-paulo/noticia/2011/08/camara-de-sp-aprova-dia-do-orgulho-hetero.html
Saiba mais sobre Orgulho Gay: http://pt.wikipedia.org/wiki/Orgulho_gay

8 comentários:

Marcos Vinicius disse...

Dani, gostei do texto. Porém, penso que a tal "guerra" a que você aludiu é culpa da própria militância gay - que tornou-se tão intolerante quanto seus algozes.
Na verdade, tantos bolsonaristas quanto "gaysistas" emprestam sentido de existência um ao outro. Este só existe porque aqueles existem - e assim seguem guerreando, nenhum dos dois representando a sociedade que dizem representar.
Para encerrar: todos eram iguais perante a lei. Não são mais e o Estado brasileiro, permissivo, não só permitiu como alimentou uma guerra de orientações sexuais no Brasil.

Eu disse...

Dani, muito bom o texto - concordo com você nas analogias entre Carnaval e Parada Gay, todavia devemos sempre manter em mente que estamos em um país no qual que o nível de instrução das pessoas é, lamentavelmente, baixíssimo - então não podemos, jamais, esperar um comportamento deverás civilizado desta gente!

Dani, vem cá, sua amiguinha Fran retorna quando dos States? ;)

Bjs, []'s.

Iara Maggioni disse...

Dia do Orgulho de ser Amiga da Dani que escreve texto tão legais quanto esses! Parabéns amiga! :)

Marcos Vinicius disse...

Discordo do rapaz ali em cima. Não creio que a rejeição aos gays decorra, pura e simplesmente, de ignorância. A verdade é que a grande maioria das pessoas, algumas até bem instruídas, rechaçam os gays por escolha moral. Na verdade, é uma escolha moral, que nada tem a ver com ignorância ou inteligência. Tem a ver com intolerância ou tolerância.

Eu disse...

Rapaz Marcos Vinicius, eu concordo contigo quando diz que a rejeição não decorra, pura e simplesmente, de ignorância. O meu comentário talvez tenha sido infeliz, de fato. Acho que, ao invés de ter transmitido minha ideia baseada no nível de instrução, eu deveria ter dito em termos de evolução da sociedade como um todo.

De qualquer maneira, deixemos a discussão de lado porque eu nem li o texto da Dani para ser sincero. Só olhei uma frase à toa, usei-a para fazer um comentário infundado e, então, atingir meu real objetivo: perguntar da minha querida e saudosa Fran.

Sobre a qual, aliás, que não tive a informação desejada.

[]'s

28 de Agosto disse...

Como não entendo muito sobre tudo isso, penso que é melhor ouvir a opinião dos outros:
O orgulho dos pequenos consiste em falar sempre de si próprios; o dos grandes em nunca falar de si. Voltaire

Pouco conhecimento faz com que as pessoas se sintam orgulhosas. Muito conhecimento, que se sintam humildes. É assim que as espigas sem grãos erguem desdenhosamente a cabeça para o Céu, enquanto que as cheias as baixam para a terra, sua mãe. Leonardo da Vinci

Os infinitamente pequenos têm um orgulho infinitamente grande. Voltaire

O orgulho é a fonte de todas as fraquezas, por que é a fonte de todos os vícios. Santo Agostinho

O silêncio é por vezes o maior orgulho que se pode mostrar. Bjornstjerne Bjornson

O orgulho divide os homens, a humildade une-os. Henri Lacordaire
O orgulho devora a si mesmo. William Shakespeare

A vaidade e o orgulho são coisas diferentes, embora as palavras sejam frequentemente usadas como sinónimos. Uma pessoa pode ser orgulhosa sem ser vaidosa. O orgulho relaciona-se mais com a opinião que temos de nós mesmos, e a vaidade, com o que desejaríamos que os outros pensassem de nós. Jane Austen

Martini Bianco disse...

Já por aqui o casamento gay foi legalizado, eles fazem as suas gay prides e a bem ou a mal são cada vez menos os que os criticam. Eu não tenho nada contra os gays, até tenho alguns maigos que são, agora também não gosto de ver o "carnaval" deles à volta dessa questão. Se não há manifestações de heteros na rua, também não acho bem que hajam manifs de gays todos os meses.

Anônimo disse...

Onde todos eram iguais perante a lei? No seu planeta?